Pesquisa no blog

Carregando...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

MEMOREX 03 - GRÉCIA - PRIMEIRA PARTE

Civilização grega


1. Meio Físico e aspectos gerais:

• Localização: Península Balcânica.

• Divisão:

- Grécia Continental (Sul da península balcânica).

- Grécia peninsular (Península do Peloponeso);

- Grécia insular (Ilhas do mar Egeu);

- Grécia asiática (Litoral da Ásia menor);

- Magna Grécia (Sul da península itálica).

• Características:

- Solo árido e montanhoso;

- Relevo acidentado e alternado por planícies (isolamento geográfico);

- Litoral entrecortado: existência de portos naturais.

• Povoamento:

- Cretenses;

- Pelasgos (habitantes primitivos da Grécia);

- Povos indo-europeus: Aqueus, Eólios, Jônios e Dórios.

• Periodização:

- PRÉ-HOMÉRICO - séculos XX a XII a.C.

- HOMÉRICO - séculos XII a VIII a.C.

- ARCAICO - séculos VIII a VI a.C.

- CLÁSSICO - séculos VI a IV a.C.

- HELENÍSTICO - a partir do século IV a.C. (a Grécia perde sua independência, caindo sob domínio macedônio).

2. Do período homérico ao arcaico (XII a.C. – VIII a.C.):

• Comunidades gentílicas:

- Organização econômica, política, social e religiosa típica do período homérico;

- Características:

* organização familiar (extensa) chefiada por um patriarca;

* casamento endogâmico;

* economia: propriedade coletiva dos meios de produção.

* sociedade:

Divisão coletiva do trabalho e dos bens produzidos pelo grupo;

Ausência de desigualdades sociais (materiais);

Critério de status social – grau de parentesco com o Pater.

Legislação oral e consuetudinária.

* política: chefia do Pater (patriarca) – Chefe militar, supremo juiz e sumo-sacerdote.

* religião familiar e doméstica: culto de antepassados.

• Desagregação das comunidades gentílicas:

- Causa: crescimento demográfico – escassez de terras – guerras entre os genos.

- Desagregação Interna:

* Surgimento da propriedade privada da terra e de desigualdades sociais;

* Formação de grupos sociais:

EUPÁTRIDAS (BEM NASCIDOS) – melhores e maiores porções de terras; PARENTES PRÓXIMOS.

GEORGÓIS (AGRICULTORES) – pequenas propriedades; PARENTES DISTANTES.

TETHAS (MARGINAIS) – despossuídos; PARENTELA.

* Conseqüência imediata: aprofundamento das desigualdades sociais (surgimento da escravidão doméstica).

- Desagregação externa:

* Aglutinação dos genos aliados: Genos – Fratrias – Tribos – Demos – Polis (cidade-estado) – SINECISMO.

* Conseqüência imediata: radicalização das disputas entre os genos rivais (escravismo).

- Desdobramentos principais:

* Segunda diáspora grega (colonização da magna Grécia);

* Surgiemnto de desigualdades sociais.

* Surgimento das Poleis gregas.

3. Características gerais da formação das cidades-estados:

• Processo de agrupamento de acordo com o principio da territorialidade (SINECISMO);

• Causa econômica: desenvolvimento das trocas e do artesanato.

• Desagregação definitiva das comunidades gentílicas – nova estrutura social e econômica:

- Grupo dominante: Aristocracia (Eupátridas);

- Grupo Intermediário: Comerciantes, artesãos, georgóis (pequenos proprietários) e tethas;

- Base: escravos. MODO DE PRODUÇÃO ESCRAVISTA.

• Existência de antagonismos internos e rivalidades externas.

• Estrutura interna de uma cidade-estado:

- Acrópole;

- Ágora;

- Porto;

- Outras Instalações: ginásio, teatro, acampamento e fonte.

• Cidades pequenas (regra geral). Exceções: Esparta e Atenas (400.000 hab.).

4. A Colonização grega e as transformações econômicas, sociais e políticas:

• Primórdios das cidades-estado:

- Economia agrária.

- Critério de status e cidadania: propriedade da terra.

- Conseqüência política: transferência do poder (Basileu - Aristocracia). OLIGARQUIA.

• Processo de colonização (segunda diáspora grega):

- Causas: centralização fundiária, escassez de terras, crescimento demográfico, surgimento de conflitos sóciopolíticos (ameaça ao poder da aristocracia).

- Conceito: ocupação de terras não gregas por gregos e formação de outras polis nos territórios ocupados.

- Características das colônias (novas polis):

* Independência política.

* Desenvolvimento de relações comerciais com as metrópoles. Aparecimento de rivalidades eventuais.

* laços de unidade metrópole-colônia: Idioma e religião.

- Conseqüências:

* Expansão da cultura grega pelo Mediterrâneo.

* Declínio da estrutura agrário-comercial tradicional.

* Consolidação do modo de produção escravista: Conquista, Comércio e escravização por dividas.

* Aprofundamento do empobrecimento das camadas mais pobres da população:

“(...) as condições de trabalho escravo fizeram piorar o nível de vida da população pobre, sobretudo dos escravizados por dívidas. (...) Como o artesanato empregava um grande numero de trabalhadores escravos (...), a concorrência entre artesãos livres e escravos degradou o artesanato, desvalorizando os salários dos artesãos livres. Os proprietários de oficinas preferiram investir mais na agricultura de exportação e na compra de escravos do que na expansão do artesanato. (...) O mercado interno praticamente inexistia e o artesanato passava a produzir para um mercado distante. O Excedente populacional não encontrava, desse modo, escoamento no artesanato, o que agravava os antagonismos sociais e acirrava as lutas políticas”.

* Desenvolvimento de uma sociedade urbana e mercantil: fortalecimento dos comerciantes.

* Conflitos sóciopolíticos (jogo de interesses):

ARISTOCRACIA – Manutenção do status sóciopolítico.

COMERCIANTES – Direitos políticos.

PEQUENOS PROPRIETÁRIOS, TRABALHADORES LIVRES – reformas socioeconômicas e políticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário